Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Hélia Correia vence Prêmio Camões 2015

A vencedora foi escolhida por unanimidade pelo júri, que reuniu hoje no Rio de Janeiro. É um dos mais importantes prêmios literários em português e já foi atribuído a Miguel Torga e Jorge Amado.
Hélia Correia tem 66 anos A escritora portuguesa Hélia Correia é a vencedora do Prêmio Camões de 2015. O anuncio foi feito esta quarta-feira, pela Secretaria de Estado da Cultura (SEC).

Hélia Correia nasceu em Lisboa em 1949. Licenciada em Filologia Românica, foi professora do ensino secundário, dedicando-se atualmente à tradução e à escrita. É poetisa, dramaturga e ficcionista. Estreou-se na poesia com O Separar das Águas, em 1981, e O Número dos Vivos, em 1982. Mas tem sido na ficção que se tem revelado “um dos nomes mais importantes e originais da sua geração”, escreve o gabinete de Barreto Xavier.

Hélia Correia já recebeu várias distinções, entre as quais o prêmio PEN 2001, atribuído a obras de ficção, pela obra Lillias Fraser, e o PEN de poesia 2013 pelo livro A Terceira Miséria. Neste regresso à poesia, a escritora prestou homenagem “à sua Grécia” e aos problemas econômicos e sociais que está a enfrentar desde o início da crise financeira.

A Casa Eterna (Prêmio Máxima de Literatura, 2000), Bastardia (Prêmio Máxima de Literatura, 2006) e Adoecer (Prêmio da Fundação Inês de Castro, 2010) são alguns títulos da sua bibliografia. No ano passado, venceu  a 23.ª edição do Grande Prêmio de Conto Camilo Castelo Branco com a obra Vinte Degraus e Outros Contos.

A vencedora foi escolhida por unanimidade pelo júri, que reuniu esta quarta-feira no Rio de Janeiro, constituído por Rita Marnoto, professora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (Portugal), Pedro Mexia, escritor e crítico literário (Portugal), Affonso Romano de Sant’Anna, escritor e acadêmico (Brasil), António Carlos Secchin, escritor e acadêmico (Brasil), Mia Couto, escritor (Moçambique) e Inocência Mata, professora da Universidade de Lisboa e da Universidade de Macau (S. Tomé e Príncipe).

Instituído por Portugal e pelo Brasil em 1989, o Prêmio Camões é um dos principais prêmios de literatura em língua portuguesa. É atribuído o valor de 100 mil euros a um autor “cuja obra contribua para a projeção e reconhecimento da literatura de língua portuguesa em todo o mundo”, escreve a SEC.

Já o venceram 11 portugueses, entre os quais Miguel Torga, Vergílio Ferreira, José Saramago, António Lobo Antunes e Sophia de Mello Breyner Andresen. Também já houve 11 brasileiros vencedores, incluindo Jorge Amado, Rachel de Queiroz e, no ano passado, Albertoda Costa e Silva. O angolano Pepetela e o moçambicano Mia Couto também estão entre os distinguidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores