Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Animais Fantásticos e o Veredito!

O fim de ano ficou mais mágico com um dos melhores blockbuster de 2016. Do tímido e infantil menino de óculos de aros redondos ao rapaz contido e "excêntrico" de casaco azul.


Já era previsível que o novo filme do Mundo Mágico criado por J. K. Rowling seria um estrondo nas bilheterias de todo o mundo, e não poderia ser diferente, pois apesar de se tratar de um filme "derivado" da franquia Harry Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam tem traços de originalidade realmente geniais. Esse post não contem spoilers, então pode continuar a leitura no sossego. Podemos afirmar que a magia está de volta. E de volta no melhor estilo, mais madura e sinistra mas sem perder os tons de humor que diga-se de passagem, deixam os dentes frouxos de tanto rir.


Animais Fantásticos é a adaptação de um dos livro usados por Harry Potter e os demais alunos de Hogwarts na saga original do mundo magico. O autor do livro, Newt Scamandar, é quem vai rivalizar com Harry Potter os novos concursos de cosplayer pelo mundo, Newt será parte de uma nova saga, mais uma vez saída da mente da autora britânica mais bem sucedida da história. J. K. Rowling é quem adapta o roteiro de seu próprio livro, estreando assim nos textos para cinema, e se saindo incrivelmente bem no novo passa tempo. No que diz respeito a crítica técnica a direção de arte é cavalar, a fotografia ficou bem nivelada, nem muito colorida nem muito sombria, o bastante para perceber que não se trata mais de uma história infanto-juvenil.

Em uma tentativa (bem sucedida) de apresentar uma novo herói evitando comparações com o anterior, a trama tem como plano de fundo a Nova York e não mais a velha Inglaterra. O que possibilita comparações na visão de mundo de cada personagem comparando suas culturas continentais e escolas rivais a Hogwarts, como apontam alguns personagens numa troca divertida sobre qual o melhor colégio. (Temo de pensar como vão retratar Castelobruxo, que de criatividade vamos combinar, a J. K. misgou os miolos na hora de escolher o nome da escola de magia do Brasil😒).

Para todos os fãs órfãos de Harry Potter e fãs de cinema em geral, que não viam uma produção da franquia desde 2011, chegou o momento do grande retorno triunfal. E em ano repleto de produções no melhor estilo arrasa-quarteirão (Warcraft, Deadpooh, Guerra Civil, Kung Fu Panda 3, Mogli, Tartarugas Ninjas 2, Star Trek Sem Fronteiras, e Doutor Estranho só pra não dizer mais), Animais Fantásticos estréia com louvor. Esta é uma das melhores obras de entretenimento do ano. Um dos elementos que o filme não poderia desperdiçar ou retratar erroneamente era seu cerne, os animais fantásticos. E nisso a produção e os envolvidos acertam em cheio. A retratação de cada uma das criaturas, suas particularidades, detalhes específicos e "personalidades", são meticulosamente apresentados. O filme inclusive destaca algumas, como o gracioso Pelúcio (uma espécie de ornitorrinco cleptomaníaco atraído por objetos brilhantes), que vai vender horrores (já encomendei o meu no AliExpress😂).

O filme se passa no passado, o que é outro diferencial, criando a trama por volta das décadas de 1920-1930, o que exige grande comprometimento da direção de arte e figurinos. A história também aborda personagens adultos, longe das paredes de uma escola, como nas produções anteriores. Além de tudo isso, Animais Fantásticos é o primeiro filme da franquia a dar espaço (digamos um grande espaço) para personagens humanos. Existe uma subtrama envolvendo personagem que retratam trabalhadores comuns, a classe política e uma uma fanática que acredita na existência de bruxas e bruxos, e decide combatê-los, formando sua própria irmandade. Há um aquela capacidade louvável de J. K. Rowling de ambientar críticas e problemas humanos dentro da trama como é possível ver claramente casos de intolerância, violência, bullying, proteção as animais e segurança.


Destaque para a participação de Johnny Depp, que apesar ter tido uma breve passagem no filme conseguiu roubar a cena dum jeito que deixa os expectadores louco para ver o que vai acontecer em seguida. Depp tem sofrido uma injusta perseguição por parte da mídia e o que fez a própria J. K. Rowling se pronunciar em defesa a presença do ator no filme. Rowling e a produção já anunciaram que ele terá ainda mais atuação e envolvimento no próximo filme.

Em suma, Animais Fantásticos e Onde Habitam não faz feio nem decepcionam os potterheads de plantão, e está tão bem apresentado que não se torna necessário ter assistido todos os 8 filmes do canônico harrypoterniano. Com um tom bem mais sombrios e adulto, o filme só peca em não deixar clara de imediato qual a real ameaça do filme, no mais está na medida certa para elfo nenhum botar defeito. Recomendo, se possível assistam em 3D (o mesmo vale para que for assistir Doutor Estranho).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores