Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

terça-feira, 21 de junho de 2016

Game Of Thrones S06E09 Comentado!

Fogo, mais fogo! Sangue, mais sangue! Entenda o melhor episódio da série até aqui.


O mais aguardado episódio da sexta temporada faz jus a todos os elogios que está recebendo por parte da crítica e do publico. O diretor de Game of Thrones, Miguel Sapochnik, realizou um feito realmente impressionante em "Battle of the Bastards", nono episódio da sexta temporada da série que foi transmitido no último domingo (19).

Atenção SPOILER abaixo, se ainda não assistiu o episódio é melhor voltar mais tarde. Eu tô avisando ^^

Começando por uma ampla visão do ataque à Meereen por parte dos Antigos Mestres e passando para o reencontro de Daenerys e Tyrions (acho que o anão se tremeu todo nessa hora). Apesar dos questionamentos feitos pela Mãe dos Dragões o Meio-Homem apresentou argumentos convincentes para Daenerys reconhecer seu trabalho, o que deixou claro mais uma vez quem é Daenerys é uma conquistadora e Tyrion um diplomata.

Partindo para uma momento de conciliação entre os Antigos Mestres e os Daenerys e Cia. Os temos de rendição são postos e rejeitados com insultos. Quando a Quebradora de Correntes mostra sua carta mais poderosa. Drogon, agora totalmente obediente e domesticado surge mostrando sua grandeza e terror.


Junto com seus filhos Daenerys mostra o que acontece quando uma exercito resolve atacar a cidade daquela Nascida na Tempestade. E enquanto a fragata arde em chamas, a maior legião de Dothrakis investem contra os Filhos das Harpias em uma onda de espadas, gritos e cavalos.


Após a morte dos Antigos Mestres e a derrota imposta por Daenerys ao exercito inimigo, tanto por mar quanto em terra. Eis que surge o desprezível Fedor Theon, sendo merecidamente humilhado por Tyrion (é por isso que não digo nada com ninguém e fico só na minha ^^). Asha/Yara com ajuda de Theon pedem ajuda de Daenerys para reivindicar a Cadeira de Pedra do Mar (tinha um nome melhor não?). Simpática a ideia de ajudar uma outra mulher à chegar ao poder, Daenerys aceita, deixando bem claro que as coisas aconteceram do jeito dela.

E agora indo ao que todos esperavam, o momento mais falado e o rumor mais rumorizado (nem sei se existe essa palavra ^^). A tão falada BATALHA DOS BASTARDOS. (Curiosidade, no set alguns produtores e assessores discutiam chamar essa evento de A Batalha dos Seis Exército, mas como soava muito com o que aconteceu em O Hobbit desistiram da ideia, até consultarem o poderoso big mother fucker George Martin e ele ríspido responde: Chama de bastardos e pronto!")

Começando com o tradicional encontro das partes, de um lado o Lorde Bolton (bastardo, bastardo, bastardo!) e os senhores da casa Karstark e Umber de outro lado os filhos do norte, Jon Snow, Sonsa Sansa, Davos, Tormund e Lyanna Mormont. Um diálogo marcado por provocações e insinuações (e a palavra bastardo de um bastardo) e atrasada atitude de Sansa de finalmente confrontar Ramsey.

Durante a noite, Jon e sua trupe discutem táticas de como agir diante do desafio da batalha que se aproxima com o sol. Apesar de em desvantagens numérica, Davos e Jon elaboram uma tática para ganhar vantagem conta o inimigo, mas Sansa (deixando de ser sonsa) resolve questionar as ações de Jon alertando-o que seus planos não vão conseguir derrotar Ramsey e resgatar Rickon (ah na boa, alguém realmente liga para aquele pivete?).

Com a chegada dos primeiros raios de sol os exércitos estão à postos e aguardando ordens. E aqui começamos e analisar as táticas usadas na batalha. Ramsey (bastardo) Bolton usa seu trunfo.

Tem que ser mesmo muito anta pra não sair correndo em zig-zag. ANTA!
Rapaz eu sei que tu é foda, maaaas quanto esperava matar com isso?

A batalha que tomou conta de doa parte do capítulo foi imensa em termos técnicos e incrivelmente pessoal (pra não dizer caríssima). Na verdade, foi algo tão difícil de filmar que os showrunners David Benioff e D.B. Weiss não conseguiram encontrar bons exemplos de uma sequência similar produzida para o cinema. Restando então se inspirar em batalhas que realmente aconteceram!

O ponto de partida para a base do confronto foi a Batalha de Agincourt, que aconteceu em 1415. Em seguida, a fonte de inspiração foi alterada para a Batalha de Canas por questões de orçamento (por isso que o Fantasma nem apareceu, o dinheiro tá pouco minha gente, é... a crise tá em todo canto). A Batalha de Canas, que aconteceu em 216 a.C, foi onde o exército de Cartago derrotou um grupo muito maior de inimigos da República Romana, liderada por Lúcio Emílio Paulo e Caio Terêncio Varrão. A tática principal se baseava em matar quantos inimigos fossem possível a distancia e reduzir o inimigo ao máximo para ser contido em um cerco, voltamos para a batalha romana contra os cartagineses, em que os romanos ficaram presos em um cerco e simplesmente foram abatidos.

Outra manobra que foi usada durante a batalha foi o Investida de Fronte, usado as guerras acontecidas em solo americano como a da Independência e a Guerra civil, a tática um tanto quanto simplória se baseia em um colossal choque entre exércitos atropelando tudo (até aliados) pelo caminho, essa parte foi retratada de uma maneira jamais realizada até o momento, pessoalmente foi a melhor cena de batalha que já vi.

Foi uma verdadeira batalha medieval, dois lados unem todas as forças possíveis para entrar em um campo de batalha e aniquilar uma a outra. Impossível ficar impassivo à essa cena, pela primeira vez me fez sentir o que é estar no campo de batalha ao mesmo tempo que oferece um senso geográfico da guerra como um todo, a aleatoriedade que envolve saraivadas de flechas de todos os lados, pessoas sendo mortas indiferentemente, atingidas pelos próprios companheiros em meio ao caos e pisoteadas por cavalos. Servi também que assim como Jon Snow é um combatente muito habilidoso, só sobreviveu a esta batalha por um triz apenas sorte. (Farei um vídeo unicamente sobre o a batalha e postarei aqui e no nosso canal no Youtube essa semana).

Galera olha que cena, que louco, sensacional!

Quando a batalha parecia perdida e a vitória de Ramsey inevitável soa ao longe um toque de corneta, no momento enque estava assistindo tava tão imerso na cena que achei que o primeiro toque era coisa da minha cabeça e o segundo toque fosse parte da trilha sonora (que alias nesse episódio também tava demais). Com o terceiro toque apareceu Sansa e Mindinho com os homens do Vale. Como uma onda quebrando uma castelo de areia na praia, os 3.000 cavaleiros e suas montarias romperam a formação estratégica dos Umber e Bolton deixando Ramsey perplexo e sem reação.

Eu amo esse tipo de cena. O elemento surpresa

Ao ver-se sem exercito corre para Winterfell tendo em seu encalço, Jon, Tormund e Wun Wun. Achando estar seguro no castelo, Ramsey espera poder contar com os muros altos e as grandes baixas causadas pela batalha, mas é surpreendido quando aos socos e encostões de um gigante derrubam sua porta.


Mais uma vez cara a cara com Jon, o bastardo esfolador pede para que enfrentar Jon mano a mano, proposta essa que havia sido feita por Jon e que fora rejeitada, apelando para flechas na tentativa de trapacear o combate corpo a corpo, Ramsey é derrotado e esmurrado por Jon até perder a consciência.

E agora vem o gran finale

Ramsey recobra os sentidos preso a uma cadeira em uma cela, atras das grades Sansa o confronta. Novamente o bastardo tenta brincar com os sentimentos de Sansa, mas desta vez ela resolve mostrar que também é uma loba e humilha Ramsey deixando claro que nada sobrar dele, nem memso seu nome.

E para seu fim, suas famintas cadelas. SEEEEENSAACIIIIONAL



Agora alguns bônus para rir a semana toda até o próximo e ultimo episódio.




Momento Senhor dos Anéis rsrs entendeu a referência?
Como Rickon deveria ter feito ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores