Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

10 autores obrigatórios na prova de Literatura


E continuando nossa enxurrada de dicas literárias para o Enem, chegamos à eles, os mestres, as lendas, as criaturas pelas quais somos gratos por produzirem os livros mais variados e divertidos: os Autores.

Na postagem de hoje peneiramos 10 autores nacionais para quem está nos planos de realizar o Enem. Embora alguns achem que não dá mais tempo. ESTÃO ERRADOS. Esta semana não se deve mais estudar (obs: não estou dizendo para matar aulas no cursinho ou no colégio), essa semana o melhor que você pode fazer é "parar" de estudar e COMEÇAR A LER!

A leitura nesta reta final vai aliviar a tensão e o nervosismo para os novatos e relaxar a pressão para os veteranos que ainda não conseguiram a tão desejada pontuação.


Carlos Drummond de Andrade
Segundo Filipe Couto, professor de literatura do pH e poeta, Drummond é o nome mais importante da poesia brasileira no século XX. "A variedade temática de sua obra, que abraça das inquietudes humanas ao nacionalismo crítico, e a habilidade no uso de diversas técnicas de estruturação do poema garantem a ele destaque em qualquer avaliação", diz ele.

Machado de Assis
Para Couto, Machado é o nosso mais importante escritor de prosa. "A linguagem sugestiva, com claro apelo à ironia, e as suas inovações técnicas e temáticas em relação às produções da época (final do século XIX) são itens sempre presentes em boas provas", explica o professor

Clarice Lispector
Na opinião de Couto, Clarice é o próprio Modernismo na prosa: "Dona de uma técnica narrativa singular, o lirismo de suas construções e a profundidade dos seus personagens permitem que se avalie a capacidade de compreensão do candidato e sua maturidade para absorção de leituras mais sofisticadas".


Oswald de Andrade
Couto diz que talvez ele seja o mais radical dos escritores da primeira fase do movimento modernista (1922-1930). "É muito comum haver questões sobre as inovações promovidas em suas obras, além de comparações entre suas produções e outras, mais tradicionais", alerta o professor.

Cecília Meireles
Couto destaca a grandiosidade de sua obra mais típica, capaz de traduzir com singeleza as mais duras fragilidades da condição humana, numa linguagem musical. "É importante lembrar que ela também escreveu obras como 'Romanceiro da Inconfidência', em que um fato da História nacional permite grandes reflexões sobre nossa gente".

Rubem Braga
Segundo o professor de literatura, é o grande nome da crônica brasileira. "Seus textos abordam temas cotidianos sob uma perspectiva singular, numa linguagem ao mesmo tempo doce e impactante. Sua capacidade de fazer parecer simples algo tão complexo faz com que ele seja um dos autores mais cobrados em provas", diz Couto.

José de Alencar
De acordo com Couto, trata-se de um autor que buscou mostrar, numa perspectiva romântica (sentimental, idealizada), o Brasil para os brasileiros. "Seus romances constituem um grande painel da nossa variedade linguística, da nossa cultura popular, da nossa fauna, da nossa flora e dos nossos tipos humanos", explica o professor.

Graciliano Ramos
Principal nome do “Romance Social Nordestino”, foi o escritor do povo marginalizado pela seca e, principalmente, pelo sistema social, político e econômico vigente. "O alto grau de psicologismo da sua obra permite que nos identifiquemos com os dramas narrados e que tornemos universais questões regionais", explica Couto.


João Cabral de Melo Neto
Segundo Couto, é um autor peculiar da nossa literatura. "Utilizando procedimentos tradicionalistas na estruturação do poema, ele consegue trabalhar seus temas com abordagens inovadoras, sendo contido e racional até mesmo para tratar de temas sociais ou sentimentais. Essa junção de fatores dá margem à elaboração de muitas questões de prova".

Álvarares de Azevedo
Para Couto, é o mais romântico dos nossos poetas românticos. "Nele, encontram-se exageradas todas as características típicas desse estilo. Curioso é que, em muitos poemas, ele subverte as expectativas e zomba de suas próprias convicções poéticas. Seja em textos típicos ou atípicos, é um autor a ser recordado nesta reta final para o Enem".

Espero que tenham gostado da lista, cá entre nós, eu também gosto de literatura estrangeira, mas deixar de ler um clássico de nossa literatura por ignorância, é um crime. Leia autores nacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores