Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

10 Livros de Terror para traumatizar

Como hoje é Sexta-feira 13, nada melhor que uma leitura especial pra tirar o sono e passar a madrugada com a luz acesa rsrs. Preparamos uma lista dos livros mais tenebrosos pra você ler depois da meia-noite. Então segure seus ossos e sua alma, pois esses livros não são contos de fadas.

Começaremos com a trindade do terror, King, Poe e o Lovecraft, o mestre do gênero e depois passaremos para alguns clássicos até chegar no que há de mais novo no terror literário. Último aviso, isso não são narrativas românticas nem feitos heroicos, prossiga pela sua conta e risco.

Ao Cair da Noite – Stephen King


Ao Cair da Noite o leitor encontrará uma coletânea de 13 contos, vemos um mestre do suspense e do terror bem à vontade com suas histórias e claramente se divertindo... Esta satisfação se faz presente nos detalhes brilhantes e no virtuosismo facilmente identificável em seus contos. Sem fórmulas ou atalhos cansativos que mostram que estar vivo, nem sempre é uma coisa boa.

Histórias Extraordinárias – Edgar Allan Poe


Outro mestre, mas ele é, acima de tudo, um esteta de talento que abriu caminhos para todas as correntes literárias de linha subjetivista e barroca que vieram depois dele. Trata-se de um escritor-crítico que tem pleno domínio da arte retórica e da arte poética, um artífice que controla, com mão de ferro e cordas de alaúde, os efeitos que exerce em seu leitor. Um arquiteto do estilo que sabe estruturar um conto como poucos (...).” Traduzido por Eliane Fittipaldi e Katia M. Orberg, Histórias extraordinárias reúne alguns dos mais conhecidos e importantes contos de Edgar Allan Poe: O gato preto, O enterro prematuro, A queda da casa de Usher, William Wilson e O poço e o pêndulo.

OBS: A queda da casa de Usher e A Mensagem na Garrafa são meus favoritos.


A Tumba e outros contos – H. P. Lovecraft


As horripilantes histórias de Lovecraft seduzem pelo crescente medo que inspiram e emergem, quase todas, num clímax surpreendente. O livro traz, também, fragmentos e alguns dos primeiros contos escritos pelo autor, durante a adolescência. Os conhecedores de Lovecrat ficarão impressionados com a precocidade do estilo – que consagraria o artista maduro – e o tratamento de temas que tornariam célebre a sua obra posterior. Para os fãs do gênero, uma razão para comemorar. Para os não-iniciados, uma ótima porta de entrada. Também recomendo o Mythos de Cthulhu pra arrepiar a espinha. 

Desfiladeiro do Medo – Clive Barker


Hollywood transformou Todd Pickett em um astro. O tempo, porém, está lhe cobrando um preço por isso. Ele não tem mais o rosto perfeito do ano anterior. Após uma cirurgia malfeita, Todd precisa de um lugar onde possa esconder-se durante algum tempo, enquanto as cicatrizes desaparecem. Querendo ser momentaneamente esquecido instala-se em uma mansão no Coldheart Canyon, um recanto da cidade tão secreto, que sequer consta nos mapas. Tammy Lauper, presidente de seu fã-clube, chega à cidade de Los Angeles decidida a solucionar o mistério do desaparecimento de Todd.

Horror em Amytiville – Jay Anson


Em 13 de novembro de 1974 a polícia do condado de Sufolk recebeu uma chamada telefônica que a levou ao endereço 112 Ocean Avenue, Amityville, Long Island. Dentro da casa a polícia encontrou um crime brutal: o assassinato de uma família inteira enquanto dormia. Poucos dias depois, Ronald Defeo Jr. admitiu que usou um rifle para matar os pais e seus 4 irmãos, alegando ter ouvido vozes que vinham de dentro da casa e que o influenciaram a cometer os crimes. Um ano depois George e Kathy se mudam com os filhos para a antiga casa dos Defeo. Não demora muito para que estranhos eventos comecem a acontecer, afetando a vida da família e indicando que uma presença maligna está oculta na casa.

O Exorcista – William Peter Blatty


Publicado pela primeira vez em 1971, O Exorcista tornou-se não só um fenômeno literário como um dos livros mais assustadores e controversos alguma vez escritos. A história centra-se em Regan, a filha de doze anos de Chris MacNeil, uma ocupada actriz que reside em Washington D.C. A criança aparenta estar possuída por um demônio ancestral e cabe a dois padres a dura tarefa de o exorcizar, arriscando a sanidade e a própria vida. O Exorcista transcendeu as páginas escritas e saltou para o grande ecrã, onde se tornou uma referência incontornável do cinema. Mas se pensa que o filme é assustador, leia o livro!

A Passagem – Justin Cronin


A cada noite, a população humana se reduz e cresce o número de criaturas assassinas. Tudo o que resta aos poucos sobreviventes é uma longa luta em uma paisagem marcada pelo medo da escuridão, da morte e de algo ainda pior. Enquanto a humanidade se torna presa do predador criado tão devastador, o agente Brad Wolgast, do FBI, tenta proteger Amy, uma órfã de 6 anos com um mistério a sua volta. Mas, para Amy, esse é apenas o começo de uma longa jornada – através de décadas e milhares de quilômetros – até o lugar e o tempo em que deverá pôr fim ao que jamais deveria ter começado. A passagem é um suspense de terror implacável, uma alegoria da luta humana diante de uma catástrofe sem precedentes. Da destruição da sociedade que conhecemos aos esforços de reconstruí-la na nova ordem que se instaura, do confronto entre o bem e o mal ao questionamento interno de cada personagem, pessoas comuns são levadas a feitos extraordinários, enfrentando seus maiores medos em um mundo que obrigado o homem a abandonar sua humanidade.

Frankenstein – Mary Shelley


Um clássico que não deve ser subestimado, tristemente muito dizem "conhecer" a história, mas pouco ousaram ler. A princípio, tratava-se de um pequeno conto sobre um jovem estudante suíço que ambicionava criar um ser ideal, injetando vida a um corpo morto. Mais tarde, transformado em romance, tornou-se um marco na literatura do gênero. Frankenstein ou o Moderno Prometeu (Frankenstein; or the Modern Prometheus, no original em inglês), mais conhecido simplesmente por Frankenstein, é um romance de terror gótico com inspirações do movimento romântico, de autoria de Mary Shelley, escritora britânica nascida em Londres. O romance relata a história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais que constrói um monstro em seu laboratório. Mary Shelley escreveu a história quando tinha apenas 19 anos, entre 1816 e 1817, e a obra foi primeiramente publicada em 1818, sem crédito para a autora na primeira edição. Atualmente costuma-se considerar a versão revisada da terceira edição do livro, publicada em 1831, como a definitiva. O romance obteve grande sucesso e gerou todo um novo gênero de horror, tendo grande influência na literatura e cultura popular ocidental.

A Mulher de Preto – Susan Hill


O jovem advogado Arthur Kipps, foi enviado a cidade mercante de Crythin Gifford para verificar os documentos e os papéis particulares da recém-falecida Sra. Alice Drablow, uma viúva idosa que vivia sozinha na solitária e afastada Casa do Brejo de Enguia. Enquanto trabalha na casa, Kipps começa a descobrir seus trágicos segredos. A situação piora quando ele entende que o vilarejo é refém do fantasma de uma mulher magoada, em busca de vingança.
OBS: Existem uma tenebrosa continuação pra quem tiver coragem e quiser um pouco mais de assombro.

O Último Passageiro – Manel Loureiro Doval


Agosto de 1939. Um enorme transatlântico chamado Valkirie aparece vazio e à deriva no Oceano Atlântico. Um velho navio cargueiro o encontra e decide rebocá-lo até o porto, mas não sem antes descobrir que nele há um bebê de poucos meses... e algo mais que ninguém é capaz de identificar.

Gostaram desta lista? Já leu algum? Qual livro de terror já fez você perder o sono, ter pesadelos, rezar um pouco mais antes de dormir? Deixe se comentário e contribua com a sua participação. 

2 comentários:

  1. Tudo que já li do Poe e do Lovecraft não me deixaram com medo, mas sim horrorizada com tanta criatividade para com este gênero! Há contos que me enojam sempre que lembro ou releio, mas medo mesmo, confesso que não sinto rsrs. Com Stephen King eu sinto medo pelos personagens mesmo, então acho que é normal. Frankenstein eu li na versão inglesa, então não senti agonia alguma, muito estranho isso rs. Essa lista me rendeu mais algumas releituras e futuras compras kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que medo mesmo é raro, talvez pela banalidade do mundo e o costume de vermos hoje muitos efeitos especiais nos filmes, mas sempre é bom um livrinho assim pra fugir da rotina literária.

      Excluir

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores