Papos sobre literatura, séries, cinema e mais.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Resenha - Vocação Para o Mal, Robert Galbraith

Strike volta em mais uma aventura, ainda mais empolgante e inesperada em seu terceiro livro.


Vocação Para o Mal (Career Of Evil) é o terceiro livro da série Cormoran Strike, uma obra de J. K. Rowling sob pseudônimo de Robert Galbraith. O livro chega com as prateleiras pela editora Rocco após alguns meses de atraso. E li aversão em inglês ano passado, optei por não postar uma resenha na época do lançamento no Reino Unido, as vamos ao que interessa, o que esse livro nos apresenta de diferente.

Primeiramente avido que pode ler sem medo que está resenha NÃO CONTEM SPOILER. E, caso queira conferir a resenhas dos primeiro e segundo volume antes te continuar a leitura é só clicar nos links abaixo.

Confira a resenha do primeiro volume, O Chamado do Cuco, aqui.
Confira a resenha do segundo volume, O Bicho-da-Seda, aqui.

Agora é pra valer!


Em Vocação Para o Mal teremos um caso mais empolgante, surpreendente e o mais sinistro (até agora) desafiando o detetive Cormoran Strike e pondo a prova sua bela assistente, Robin Ellacot.

A entrega de um estranho pacote no escritório do detetive mal-humorado é o ponto de partida desta aventura quando seu macabro conteúdo é revelado. O hediondo presente é um convite as habilidades dos nossos destemidos personagens. Seguindo a prática de um profissional do ramo investigativo, Strike rapidamente elabora uma lista de possíveis suspeitos, homens temíveis que passaram pela sua vida e que tem bons motivos para odiar nosso perneta favorito. Contando com uma pequena colaboração da Scotland Yard (a famosa policia britânica) e uma ajudinha dos marginas do submundo que servem como olhos e ouvidos (nem sempre confiáveis) na marginalidade londrina.

A narrativa continua frenética e recheada de sentimentos sem apelas para personagens melosos e caricaturados, neste terceiro volume é impossível não reconhecer o amadurecimento da escrita em relação as duas primeiras aventuras. Os personagens estão bem mais construídos, sólidos e realistas, o que vem se provando um dos diferencias do(a) escritor(a). O cenário é bem descristo dando aos leitores uma clara imagem dos ambientes e posicionando-os exatamente aonde quer para criar um clima de expectativa e ansiedade a cada virada de pagina. E o mais inovador desta nova aventura, a mente do inimigo.

Ao contrário dos dois primeiros volumes onde o leitor realmente não sabe nadica de coisa nenhum dos criminosos, nesse o vilão é apresentado de maneira sutil e ao mesmo tempo tenebrosa através de capítulos narrados a partir do ponto de vista de uma mente psicopata e desequilibrada que em alguns momentos provoca até estranheza aos leitores, mas seve de lupa para perceber os aspectos e comportamentos de um indivíduo doente e perigoso que demostra estranho interesse pela A Secretária.


Essa narrativa a parti do ponto de vista do assassino foi o ponto de evolução da escrita de Galbraith que mais me surpreendeu e agradou. além de deixar sutis pistas de quem é o verdadeiro culpado e deixar o leitor tonto em teorias e suspeitas. Some esse novo toque ao taleto que o autor já provou ter para criar cenas de horror sem parecer visceral e a maneira como através da descrição posiciona a mente do leitor suavemente no cenário e você tem um romance policial digno de horas de leitura a fio.

Os personagens desta aventura foram bem explorados em seus, pensamentos, sentimentos, ações e sutilezas. Outro grande diferencial em relação aos livros anteriores é a avalanche de informações a respeito do passado dos personagens, sobretudo os protagonistas e em especial Strike, que nos dois primeiros livro pouco se sabe de seu passado além de alguns detalhes de sua família e carreira. Em Vocação Para o Mal o passado do detetive parece se desenterrar para assombrá-lo.

Nossa querida Ellacot também ganhou mais atividade e espaço na narrativa, na certa devido o importante papel que desempenhou na ultima aventura (para mais detalhes leia O Bicho-da-Seda). Aqui podemos ver o sorriso de Rowling transparecendo no tratamento que ela dá à sua personagem, criando uma Robin mais ousada e corajosa, uma mulher jovem, bela, inteligente e ao mesmo tempo sensível aos problemas de sua vida profissional e sua vida pessoal com Matthew com as obrigações de uma noiva britânica (que servem até como uma crítica as peculiaridades do machismo inglês).

O mais tenebroso em Vocação Para o Mal é que o assassino demostra aspectos de acrotomofilia (do grego Akron [extremidade], tomein [de redução] e philein [de amor]) que refere-se ao interesse sexual em amputados. A excitação vem justamente da ausência daquela parte do corpo (acho que você acabou de fazer uma careta né?). O livro explora também o "mundo" de pessoas com desejo de autoflagelação ou mutilação de forma mais psicológica e comum sem parecer um texto grotesco.

Opinião Final


Sem dúvida a narrativa e trama melhorou muito desde O Chamado do Cuco, livro que parecia lento demais para um romance policial, mas que tinha um charme pessoal muito sedutor. D'O Bicho-da-Seda com seu labirinto conspiratório envolvente e enganador, mas com uma narrativa mais frenética e acelerada. Vocação Para o Mal é a síntese perfeita dos dois primeiros livros, como muitos acertos na tramas. É uma aventura densa e sombria que mergulha profundamente na vida de seus personagens fazendo até mesmo quem não conhece Cormoran e Robin se apaixonar aos primeiros capítulos. Esse livro é super indicado não apenas para os fãs de Galbraith (ou J. K. Rowling) mas também para todo bom leitor de suspense e aventura. Li e recomendo à todos, não vão se arrepender!


Olá, você já leu esse livro? Gostou na resenha? Deixe sua opinião, crítica ou sugestão nos comentários.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradecemos sua visita. Confira outros posts sobre este assunto. Deixe aqui o seu comentário, crítica, sugestão. Curta o Um Fílosofo na Web no Facebook e siga no Twitter ou Instagram. Obrigado!

: PARCEIROS :

Grupo Editorial Autêntica

Editora Novo Conceito

Seguidores